25 anos do genocídio de Ruanda

#Rede 7 de abril de 2019

A REDE Sustentabilidade registra, no dia de hoje, vinte e cinco anos da morte de mais de 800 mil pessoas no período de cem dias em Ruanda, África (1994). Os massacres comandados por extremistas étnicos hutus vitimaram membros da comunidade minoritária tutsi, assim como seus adversários políticos. Necessário salientar a responsabilidade da comunidade internacional em não parar o massacre, inclusive ONU e Bélgica tinham forças de segurança em Ruanda, mas não foi dado mandato para atuar. A França, que era aliada do governo hutu, não fez o suficiente para parar o genocídio. Os Estados Unidos silenciaram. Mais tarde, o Tribunal Penal Internacional da ONU para Ruanda (TPIR) foi instalado e julgou diversos casos de genocídio, mas não foi suficiente para aplacar a dor coletiva. A REDE Sustentabilidade lembra da data para afirmar a necessária implementação dos Direitos Humanos e de uma cultura de paz em escala global e para não esquecer que vidas negras importam.

Brasília, 07 de abril de 2019
Executiva Nacional da REDE Sustentabilidade