Nota Pública da REDE Sustentabilidade em apoio aos Educadores de Mato Grosso

#Rede 11 de julho de 2019

A Rede Sustentabilidade vem a público manifestar apoio aos trabalhadores e trabalhadoras da Educação da Rede Estadual do Estado do Mato Grosso que entra na sétima semana em movimento grevista.

O diálogo que se tentou estabelecer desde o ano passado não ocorreu e o governador do estado, Mauro Mendes (DEM), autorizou o corte integral dos salários dos profissionais, condicionando este ao retorno dos educadores.

Sem salários, os educadores estão passando por problemas financeiro e mesmo assim prosseguem em manifesto, requerendo o cumprimento da Revisão Geral Anual (RGA) e a lei 510/2013 aprovadas e vigentes no estado. A não contemplação dessas leis podem gerar uma defasagem salarial de até 44% até 2023.

Os educadores afirmam que o governo de Mato Grosso não tem priorizado a Educação, pois foram levantadas cerca de 400 escolas precarizadas, incluindo as chamadas “escolas de lata” reportadas pelo programa Fantástico para todo o Brasil.

Além disso, a afirmativa que o governo faz de que não têm dinheiro para educação confronta com os R$ 3,4 bilhões em isenções e renúncias fiscais, sem a devida contemplação dos 27% obrigatórios para a área educacional.

A condição do Imposto de Renda Retido na Fonte (IRRF) que normalmente é aplicado como receita, foi modificado para constar como despesa, reduzindo a percepção de recursos financeiros do estado.Um estado que é nacionalmente reconhecido por sua potência na agroindústria e exportação precisa que seu gestor compreenda que o progresso social só é possível se houver investimentos em Educação.

A Rede Sustentabilidade avalia essa luta dos educadores de Mato Grosso prudente e indispensável e também defende uma Educação pública e universal de qualidade em todos os níveis, integral,  inclusiva, formadora de cidadãos comprometidos com uma vida social solidária e sustentável e preparados para os desafios de uma sociedade cada vez mais demandante de informação e conhecimento, como princípio fundante de uma verdadeira República baseada na igualdade de oportunidades para todos.

A REDE deseja também que os bravos educadores se mantenham resistentes neste contexto em que cada vez mais pessoas protestam de diversas maneiras para aumentar sua participação nas decisões públicas e promover revoluções por meio da Educação.

Executiva Nacional da Rede Sustentabilidade