Nota da REDE Sustentabilidade sobre o assassinato de Maxciel Pereira dos Santos, servidor da FUNAI.

#Rede 11 de setembro de 2019

Maxciel Pereira dos Santos, servidor da FUNAI em Tabatinga, trabalhava há 12 anos na base do Vale do Javari, uma Terra Indígena com 5 mil habitantes.

Na noite da última sexta feira, 08.09.2019, diante de sua família, foi assassinado com tiros na cabeça. Há fortes indícios de que a execução se deu em função de seu trabalho de proteção etnoambiental, na base da FUNAI no Vale do Javari, que foi atacada por quatro vezes desde o
ano passado. Sua atuação consistia em impedir entrada de invasores nessa área, que tem a maior população de indígenas não contatados.

Depois do último ataque, ocorrido em julho, noticiou o jornal Folha de São Paulo que o Exército e uma equipe da Funai apreenderam cerca de 300 tracajás e 40 mil ovos com caçadores ilegais.

O protetor não teve proteção. Atravessou sua vida no caminho dos que invadem a região em busca de caça, pesca, madeira e minérios, os principais alvos da cobiça de predadores que não se detém diante de agentes do Estado. Predadores que não reconhecem limites para se apropriar do que é bem de todos, para colher onde não plantaram, para lucrar sem ter investido, para alimentar uma cadeia de negócios criminosos que começa nas regiões remotas e chegam até as grandes cidades, com aparência de legalidade.

A REDE Sustentabilidade vem a público para se solidarizar com seus familiares, amigos, colegas de trabalho e os indígenas beneficiários de sua dedicação profissional.

Em segundo lugar, para exigir das autoridades como dirigentes da FUNAI, Ministro da Justiça e Presidente da República, que cumpram suas obrigações para que se preservem os direitos da sua família, para que promovam a investigação rigorosa do assassinato, para que ofereçam proteção aos demais agentes da FUNAI que continuam seu trabalho na base do Vale do Javari e também para que garantam que a região continuará protegida e os povos que nela habitam, protegidos, tanto os que tem contato como as 11 etnias que ainda não foram contatadas.

Estaremos acompanhando e lançando mão de nossos esforços para que Maxciel Pereira dos Santos não tenha morrido em vão.

Brasília, setembro de 2019 – tempo de grandes queimadas na Amazônia.
Rede Sustentabilidade