Senadores derrotam Renan Calheiros

#Rede 3 de fevereiro de 2019

A eleição para a presidência do Senado, que todos acompanharam na última sexta (1º) e sábado (2), foi marcada pela polarização entre os senadores que defendiam a questão de ordem apresentada pelo senador reeleito pela REDE, Randolfe Rodrigues, em defesa do voto aberto e transparente, contra o grupo de Renan Calheiros, que defendia o voto secreto e os acordos de bastidores.

A coragem e a determinação do senador Randolfe, em propor uma votação às claras para que a sociedade pudesse saber como pensam seus representantes, são louváveis e só poderiam partir de um parlamentar que tem uma trajetória política ilibada, dedicada ao bem comum e à moralidade na política.

Vale lembrar que, em 2016, a REDE apresentou ao Supremo Tribunal Federal um pedido de afastamento do então presidente do Senado, Renan Calheiros, por este ser réu pelo crime de peculato (apropriação de verba pública) e estar na linha sucessória da Presidência da República.

Três anos depois, Renan tentou, pela quinta vez, ser novamente presidente do Senado e, consequentemente, do Congresso Nacional e não faria sentido algum apoiá-lo: chega da velha política e das suas práticas obscuras!

A Bancada da Rede, junto com outros senadores progressistas, defendeu corretamente a ampla união em torno da candidatura de Davi Alcolumbre para derrotar Renan. Repudiamos setores sectários da esquerda que criticam o apoio a Davi, mas, pública ou veladamente, apoiaram Renan Calheiros (MDB).

A REDE no Congresso Nacional, oposição democrática e firme contra o governo Bolsonaro, seguirá na luta por um Senado independente e transparente e um Brasil mais justo com seus cidadãos!